user preferences

New Events

Brazil/Guyana/Suriname/FGuiana

no event posted in the last week
Recent articles by OAZ
This author has not submitted any other articles.
Recent Articles about Brazil/Guyana/Suriname/FGuiana Movimento anarquista

Reflexiones sobre el trabajo de base de matriz libertaria Apr 24 17 by Antônio Ade

Sectarismo y vanguardismo – Debatiendo un problema en la izquierda Apr 09 17 by Federação Anarquista do Rio de Janeiro

Revista Socialismo Libertário 3 Mar 16 17 by Coordenação Anarquista Brasileira (CAB)

Carta de Fundação OAZ

category brazil/guyana/suriname/fguiana | movimento anarquista | feature author Friday April 29, 2016 16:29author by OAZ - Organização Anarquista Zabelê Report this post to the editors

featured image

Nosso papel é construir conjuntamente, a nível social os caminhos para transformação da realidade, que não virá de forma espontânea. Diante disso tudo, nós, grupo de militantes anarquistas, no auge de suas reflexões, enxergando todos os desafios e barreiras impostas, e acreditando na organização como ferramenta fundamental para se chegar a um futuro justo e livre de toda ordem de opressão, fundamos a OAZ (Organização Anarquista Zabelê), que leva em seu nome uma grande guerreira indígena piauiense chamada Zabelê, que fazia parte da tribo Amanajós, localizada a poucos quilômetros de Oeiras, Zabelê foi morta e Tupã resolveu transformar a índia em uma ave que canta triste sempre ao entardecer. Enxergamos em Zabelê uma grande guerreira e queremos visibilizar as minorias que sempre estiveram presentes em nossa história, então decidimos carregar conosco um grande símbolos de nossa raiz, nesse contexto surge o nome Organização Anarquista Zabelê – OAZ!


Carta de Fundação OAZ

Saudações libertárias a todas e todos!

Após várias experiências e labor, debruçadas e debruçados sobre os estudos e primeiras vivências no seio social dos princípios anarquistas, algumas e alguns militantes, enxergaram a necessidade de se organizar mais e mais para se concluir a caminhada para revolução social que tanto almejamos E esta revolução não se realizará de forma mágica. Fazem-se necessários elementos orgânicos que estejam atuando firmemente agora no presente, para fazer gerar as condições para estes objetivos.

Os quase dois anos do Grupo de Estudos Anarquistas do Piauí – GEAPI foram um laboratório sem igual, que permitiu acesso e conhecimento sobre o anarquismo no Piauí, colocando novamente socialismo libertário em pauta nas esferas dos movimentos populares. Mas a estrutura de grupo de estudos tem certas limitações, tanto na questão programática, quanto em organização política, que impedem alcançar resultados mais objetivos na luta contra o Estado e o capitalismo.

O momento atual exige de nós anarquistas, olharmos para os princípios com disciplina, planejamentos, empenho, em suma, organizados e organizados. Como já observou Dalton:
“A questão, então, nos é colocada de frente, sem possibilidade de evitá-la: podemos estar sinceramente satisfeitos com a propaganda? A propaganda, já admitimos, foi necessária para construir um movimento como o que temos hoje em dia. Mas não pode continuar sendo o foco exclusivo de nossos esforços atuais – a propaganda não pode determinar as necessidades da organização; são as necessidades da organização que devem determinar a propaganda. Podemos estar satisfeitos, com toda honestidade, indo de luta em luta divulgando nossos princípios? Nesta altura, deveríamos estabelecer algo mais para nós, deveríamos buscar uma linha de ação e de pensamento estratégico, que dê coerência à nossa participação (ou não participação) em uma ou outra luta. É hora de assumir responsavelmente a importância que nosso movimento conseguiu e deveríamos começar a nos comportar de acordo com esta circunstância’’

Não há outra caminhada para militantes que desejam provocar rupturas senão a da organização. Num processo dialético, a (o) militante precisa da organização e a mesma precisa do militante extremante afinado e disposto a desenvolver o trabalho sério junto com as camadas oprimidas pelo Estado e pelo capitalismo. Não com a intencionalidade de representá-las, nem falar por elas e muito menos doutriná-las a partir de verdades pré-estabelecidas. O nosso papel, enquanto militantes e organização é de provocar e construir os meios e jeitos para a população organizar-se e dar a resposta necessária para nossos algozes. Nosso papel é construir conjuntamente, a nível social os caminhos para transformação da realidade, que não virá de forma espontânea. Diante disso tudo, nós, grupo de militantes anarquistas, no auge de suas reflexões, enxergando todos os desafios e barreiras impostas, e acreditando na organização como ferramenta fundamental para se chegar a um futuro justo e livre de toda ordem de opressão, fundamos a OAZ (Organização Anarquista Zabelê), que leva em seu nome uma grande guerreira indígena piauiense chamada Zabelê, que fazia parte da tribo Amanajós, localizada a poucos quilômetros de Oeiras, Zabelê foi morta e Tupã resolveu transformar a índia em uma ave que canta triste sempre ao entardecer. Enxergamos em Zabelê uma grande guerreira e queremos visibilizar as minorias que sempre estiveram presentes em nossa história, então decidimos carregar conosco um grande símbolos de nossa raiz, nesse contexto surge o nome Organização Anarquista Zabelê – OAZ!

Related Link: https://oazblog.wordpress.com
This page can be viewed in
English Italiano Deutsch
Employees at the Zarfati Garage in Mishur Adumim vote to strike on July 22, 2014. (Photo courtesy of Ma’an workers union)

Front page

Reseña del libro de José Luis Carretero Miramar “Eduardo Barriobero: Las Luchas de un Jabalí” (Queimada Ediciones, 2017)

Análise da crise política do início da queda do governo Temer

Dès maintenant, passons de la défiance à la résistance sociale !

17 maggio, giornata internazionale contro l’omofobia.

Los Mártires de Chicago: historia de un crimen de clase en la tierra de la “democracia y la libertad”

Strike in Cachoeirinha

(Bielorrusia) ¡Libertad inmediata a nuestro compañero Mikola Dziadok!

DAF’ın Referandum Üzerine Birinci Bildirisi:

Cajamarca, Tolima: consulta popular y disputa por el territorio

Statement on the Schmidt Case and Proposed Commission of Inquiry

Aodhan Ó Ríordáin: Playing The Big Man in America

Nós anarquistas saudamos o 8 de março: dia internacional de luta e resistência das mulheres!

Özgürlüğümüz Mücadelemizdedir

IWD 2017: Celebrating a new revolution

Solidarité avec Théo et toutes les victimes des violences policières ! Non à la loi « Sécurité Publique » !

Solidaridad y Defensa de las Comunidades Frente al Avance del Paramilitarismo en el Cauca

A Conservative Threat Offers New Opportunities for Working Class Feminism

De las colectivizaciones al 15M: 80 años de lucha por la autogestión en España

False hope, broken promises: Obama’s belligerent legacy

Primer encuentro feminista Solidaridad – Federación Comunista Libertaria

Devrimci Anarşist Tutsak Umut Fırat Süvarioğulları Açlık Grevinin 39 Gününde

The Fall of Aleppo

Italia - Ricostruire opposizione sociale organizzata dal basso. Costruire un progetto collettivo per l’alternativa libertaria.

Recordando a César Roa, luchador de la caña

© 2005-2017 Anarkismo.net. Unless otherwise stated by the author, all content is free for non-commercial reuse, reprint, and rebroadcast, on the net and elsewhere. Opinions are those of the contributors and are not necessarily endorsed by Anarkismo.net. [ Disclaimer | Privacy ]